Promover o acesso a uma educação de qualidade, relevante e segura para todas as pessoas afetadas por crises

Comunidade de Língua Portuguesa da INEE

atualizado em maio de 2018

© Caroline Trutmann
Save the Children, Angola 2008
 Contextualização

A Comunidade de Língua Portuguesa da INEE (CLP) é um espaço no qual se procura promover o desenvolvimento de recursos, a partilha de conhecimento e a união de esforços em prol da advocacy entre os membros da INEE que falam e/ou trabalham em língua portuguesa. Além disso, no âmbito da CLP fomenta-se a criação, tradução e disseminação de ferramentas de trabalho e informação em língua portuguesa, bem como se disponibilizam oportunidades de formação e capacitação aos membros da INEE que falam a língua portuguesa. Esta comunidade de membros e as atividades desenvolvida no seio da mesma têm o apoio de uma, designada, Facilitadora da Comunidade de Língua Portuguesa da INEE.

 

Comunidade de Membros

Por um lado, no conjunto global de membros da Rede, 558 membros assinalam, nos seus perfis de membros, a língua portuguesa como língua de trabalho.  Por outro lado, a Comunidade de Língua Portuguesa conta atualmente com 256 membros registados e 278 membros subscrevem os canais de comunicação e newsletter da CLP. Importa ter em conta que quer a pertença a esta comunidade, quer a subscrição destes canais de comunicação em língua portuguesa está disponível, de forma gratuita, a qualquer membro da INEE que tenha interesse em integrar estes espaços e aceder a informação privilegiada.

© Sandra Fernandes
Meet-Up de membros da CLP, Portugal 2015
Do ponto de vista da distribuição geográfica os membros da CLP estão espalhados um pouco por todo o mundo, nomeadamente em 66 países diferentes. Portugal, logo seguido do Brasil, são os países nos quais se encontram a maioria dos países.

Nos quadros abaixo são detalhadas as características dos membros que constituem esta comunidade de membros, nomeadamente no que diz respeito aos países nos quais têm experiência pessoal e à natureza das instituições de filiação. Assim, Portugal e Brasil voltam a ser os países que lideram o top de países nos quais os membros têm experiência. Já no que respeita à representação institucional, a maioria dos membros trabalham em ONG internacionais e instituições académicas, sendo que um grande número de membros diz não filiação a nenhuma entidade formal.

 

 

Atividades da Comunidade de Língua Portuguesa

Comunicações

A página oficial da INEE está inteiramente disponível em língua portuguesa (www.ineesite.org/pt). Além disso, na página pode-se encontrar um vasto conteúdo resultante de contributos partilhados por membros da comunidade, tal como notícias, oportunidades de trabalho, publicações no blogue, ferramentas, recursos multimédia e fóruns de discussão, em português.

Os membros da CLP recebem mensalmente um boletim eletrónico que corresponde à atualização de notícias internas e externas à Rede, em língua portuguesa. Este boletim pretende evidenciar os destaques no campo da educação em situações de emergência (EeE) e o trabalho e conquistas dos membros da CLP. Do boletim constam ainda oportunidades de trabalho, formação e bolsas de estudos.

Frequentemente os membros da comunidade contactam a INEE para solicitar materiais, para obterem informação sobre ações de formação e capacitação, bem como de voluntariado. De forma geral, o contacto é estabelecido sobretudo por membros no Brasil e em Portugal que trabalham como profissionais de educação em programas de resposta humanitária e desenvolvimento.

 

Participação nos Grupos de Trabalho da INEE 

No período entre 2014 e 2017, a CLP esteve representada no Grupo de Trabalho da INEE sobre Política Educativa através do Instituto de Educação da Universidade do Minho. Ao longo desse período o IE-UMinho colaborou em diversas atividades deste grupo de trabalho e participou em diferentes reuniões de trabalho em rede, tendo acolhido em Braga, duas dessas reuniões:

  • Reunião do Grupo Orientador da INEE. maio de 2014
  • Reunião bianual dos Grupos de Trabalho da INEE. abril de 2017

 

Requisitos Mínimos da INEE

© UNICEF e DNEG
Seminário Nacional sobre o Papel do Sector da Educação na Prevenção e Resposta às Situações de Emergência, Angola 2015
A primeira edição do Manual dos Requisitos Mínimos da INEE foi traduzida para língua portuguesa como resultado da iniciativa da CLP e só foi possível com o contributo voluntários de várias e vários membros, em 2004. Já a segunda edição foi traduzida em 2010, seguindo-se várias ações de formação e disseminação desta ferramenta em Angola, Guiné-Bissau e Timor Leste. Com o apoio de parceiros locais e nacionais, listados abaixo, foi possível dar continuidade à disseminação do manual: 

  • Angola - UNICEF e Ministério de Educação
  • Brasil - Fundação Abrinq e Prefeitura de Petrópolis
  • Cabo Verde - Open Society Foundations e Campanha Nacional pelo Direito à Educação
  • Portugal - Escola Superior de Viana do Castelo e Instituto de Educação da Universidade do Minho

 

Educação Sensível às Questões de Conflito

Ainda no período entre 2014 e 2017, o Instituto de Educação da Universidade do Minho integrou o subgrupo de trabalho sobre Educação Sensível às questões de Conflito. O enfoque deste grupo foi promover a disseminação do Pack da INEE sobre esta temática, junto de parceiros que se encontrem a trabalhar em contextos de emergência e crises prolongadas. Assim, o grupo procura fortalecer a relevância destes materiais na ótica do utilizador, reforçar a representação de representantes dos governos nas ações de formação e planeamento de Educação Sensível às questões de Conflito e, dessa forma, contribuir para a sustentabilidade do uso e formação sobre o Pack.

Ao longo de 2017 um grupo de membros da CLP trabalharam voluntariamente para traduzir o Pack de Educação Sensível às Questões de Conflito para língua portuguesa. A versão portuguesa do Pack pode ser descarregada na página da INEE.

Ainda em 2017, julho, dois membros da CLP participaram na formação de formadores em Educação Sensível às questões de Conflito, promovida pela INEE em Amã, na Jordânia. Nesta iniciativa foram selecionadas diversas organizações para multiplicarem a formação a nível regional, nacional ou mesmo local, em parceria com outras agências, nos seis meses que se seguiram. Os dois membros da CLP que participaram na formação apoiaram este processo de duas organizações em particular. O representante do Instituto de Educação do Minho co-concebeu o plano de investigação e integrou a equipa de coordenação da componente de investigação associada a todo o processo.  

 

Advocacy

Sendo representada pela Facilitadora da CLP, a INEE tem integrado vários espaços de influência política lusófonos, nomeadamente, redes e coligações para o direito à educação:

  • Coligação Nacional da Campanha Global pela Educação, Portugal (2012-2015)

  • Rede Lusófona pelo Direito à Educação - ReLus (desde 2014)

 

 

 

Outras iniciativas e ações da CLP

2018 - Colaboração na organização da Mesa Redonda: "Educação em Emergências: Conceitos, princípios e respostas" no âmbito do II Colóquio Internacional Educação e Cooperação para o Desenvolvimento, promovido pelo Centro de Investigação e Intervenção Educativas (CIIE) e o Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto (CEAUP), 25 e 26 de maio de 2018.

2017 - Participação no II Encontro de Grupos de Trabalho da INEE em 2017, no mês de outubro, em Florença, na Universidade de Florença. 

2016 - Organização do Workshop Técnico sobre Educação em situações de Emergência, Crises Prolongadas e contextos de Fragilidade, no mês de março, em Braga, facilitado por Chris Talbot.

2015 - Participação do II Encontro de Grupos de Trabalho da INEE em 2015, no mês de outubro, em Genebra, na sede do ACNUR e do RET.

2014 - Acolhimento e participação no Encontro do Grupo Orientador da INEE, no mês de maio, em Braga, em parceria com o Instituto de Educação da Universidade do Minho | Braga

De 2013 a 2015 - Representação na Coligação Portuguesa da Campanha Global pela Educação

2013 - Participação nos Encontros dos Grupos de Trabalho da INEE | Paris, Washington, Nova Iorque; Participação no colóquio internacional “Cooperação e Educação para o Desenvolvimento: Lições e Desafios”, promovido pelo Centro de Estudos Africanos da Universidade do Porto e a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto | Porto 

© OSF e Campanha Nacional pelo Direito à Educação
Oficina de Planos Locais do PCSS, Cabo Verde 2012
2012 - Participação no Encontro dos Grupos de Trabalho da INEE | Genebra; Participação na Oficina de Planos Locais do Programa de Cooperação Sul-Sul pelo Direito à Educação entre Países Lusófonos (PCSS) promovido pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação do Brasil | Cidade da Praia; Participação no workshop: “Construindo uma comunidade de práticas para a promoção da paz através da Educação em África”, promovido pelo Inter-Country Quality Node (ICQN) sobre Educação para a Paz | Naivasha

Desde 2004 - Tradução e publicação de 5000 exemplares da edição portuguesa dos Requisitos Mínimos da INEE; Formação de formadores para a aplicação e implementação dos Requisitos Mínimos da INEE; Promoção dos Requisitos junto dos falantes de língua portuguesa; Organização e participação no Meet Up Global da INEE anual.

 

Para mais informação contacte-nos através do e-mail: portugues@ineesite.org.

Andreia Soares, facilitadora da Comunidade de Língua Portuguesa da INEE